quarta-feira, 25 de agosto de 2010

É incerto

Te querer o bem
Sem saber ao certo
O certo alguém que tem
Destino traçado
Descrença aturdida
No bem, mal
Em triste partida
E vai seguindo
Todo o sistema imune
De letreiros disformes
E alegorias por vezes
Que me fez assim

Querer-te o bem
Fazer sorrir pra mim
E só o bem que faz
Você por perto
Dando a certeza
De que nosso futuro

É incerto

2 comentários:

  1. De tirar o fôlego Ana, continua escrevendo *.*

    ResponderExcluir
  2. Mui bom... não sabia que escrevias na forma de poema. =]

    ResponderExcluir